domingo, 26 de abril de 2009

A Verdadeira Felicidade

A verdadeira felicidade é a felicidade espiritual. Mas neste mundo é muito difícil alcançá-la, pois, estando presa dentro de um corpo, a alma é incapaz de manifestar sua natureza original plena. Para isso, ela precisa iniciar suas atividades devocionais e, assim, purificar o coração. A satisfação que a pessoa sente por ter encontrado o caminho espiritual compensa qualquer tipo de sacrifício ou austeridade praticada e, nessa fase, as diferentes regras e deveres são executados com prazer.

KRISHNA
Ó amigo, aquele que se eleva à posição de autorrealização usa a inteligência para se purificar, controla a mente com determinação, abandona os objetos dos prazeres mundanos e age sem apego ou ódio. Ele prefere viver num lugar calmo e isolado; come pouco e controla a mente e a fala. Ele mantém-se desapegado, livre do falso ego, da falsa força, do falso orgulho, da luxúria, da ira e do falso conceito de propriedade. Ele é pacífico em todas as circunstâncias e é equânime para com todos os seres vivos, nunca caindo vítima da lamentação, mas sempre satisfeito e fixo em Me servir com devoção pura.

Uma alma autorrealizada está na plataforma de verdadeiro conhecimento. Ela é desapegada das atividades de gozo dos sentidos, mas está sempre pronta para agir para a satisfação de Krishna. Somente nessa fase elevada de vida espiritual é possível viver em perfeita comunhão com Ele, e não através de conhecimento gramatical ou especulação acadêmica.

KRISHNA
Unicamente através da devoção é possível Me compreender como a Pessoa Suprema. Vivendo sob Minha proteção, o devoto obtém Minha graça e alcança Minha morada eterna e imperecível, mesmo estando ocupado em diferentes espécies de atividades. Desse modo, ó amigo, seja plenamente consciente de Mim e o ajudarei a superar todos os obstáculos que surgirem na vida. Entretanto, caso seu ego falso impedir que Me ouça, você estará perdido. Agora, sob a influência da ilusão, você se recusa a agir segundo a Minha direção, mas fatalmente sua própria natureza o forçará a agir. Os seres vivos estão presos em seus corpos, que são como máquinas feitas de energia material. E Eu sou o Senhor Supremo sentado em seus corações. Portanto, sou Eu que dirijo todas as suas andanças. Então, ó Árjuna, se renda completamente e obtenha a suprema paz. Por Minha misericórdia você alcançará a Minha eterna morada!

Pode ser que, por meio de esforço pessoal, alguém consiga se aproximar de Krishna, mas só se pode alcançar o objetivo final - devoção pura - por Sua misericórdia. Por isso, com humildade genuína o devoto busca Sua graça ouvindo e cantando sobre Ele. Oferecendo-Lhe orações sinceras e, ao mesmo tempo, executando serviços práticos, ele se reveste de energia espiritual e fica protegido do contato com a energia ilusória inferior.

KRISHNA
Portanto, lhe explicarei o mais confidencial de todos os conhecimentos. Reflita sobre isso e decida o que fará. Como você é Meu querido amigo, estou lhe oferecendo Minha instrução suprema. Pense constantemente em Mim e converta-se em Meu devoto. Adore-Me e ofereça suas homenagens a Mim. Assim, você certamente virá a Mim.

Sempre arrastada pelo falso ego e atada às leis materiais, uma pessoa pode se julgar independente e livre para tomar suas próprias decisões. Mas isso é simplesmente ilusão. Quando se livra dessa ilusão e desperta sua consciência divina, o ser vivo se volta para seu melhor e verdadeiro amigo, Sri Krishna. Porque reside no coração, Ele atua diretamente como benquerente e em todos os aspectos toma conta do conforto de Seu devoto.

KRISHNA
Ó Árjuna querido, se renda a Mim e abandone todas as atividades mundanas. Não tenha receio de nada, pois Eu Me encarregarei de todo o seu karma passado.

O cativeiro material se deve ao fato de a pessoa ter executado atividades pecaminosas passadas. Mas não há porque se preocupar com tal cativeiro material, pois Krishna assegura que cuidará pessoalmente de Seu devoto, salvando-o das reações de suas atividades e cancelando seu karma passado. Portanto, é melhor que a pessoa utilize seu tempo valioso aceitando a guia de um mestre espiritual e confie na misericórdia de Krishna, se preocupando unicamente com o desenvolvimento de sua devoção.

KRISHNA
Esse conhecimento é muito confidencial e não pode compreendê-lo uma pessoa sensual, sem devoção, que não se submeta às práticas espirituais e sinta inveja de Mim. Portanto, aquele que explica esse segredo supremo no final da vida retorna a Mim. Neste mundo, não há ocupação melhor do que essa e tampouco jamais haverá alguém mais querido do que o servo que se dedica a espalhar essa sabedoria.

Iluminado pelo mestre espiritual, o discípulo passa a ser puro e aprende a se ocupar corretamente, livrando-se da ignorância e do ego falso.
Ocupado em desvendar os mistérios sobre a ciência de Deus e em explicar as complexidades do serviço devocional ao discípulo, o mestre espiritual presta o mais valioso de todos os serviços e é considerado o servo mais querido do Senhor. Na verdade, ocupa a posição mais gloriosa neste mundo aquele que está sempre criando oportunidades para ajudar as pessoas a se livrarem da existência material e se tornarem conscientes de Krishna.


KRISHNA
Aquele que estuda esta nossa sagrada conversa adora-Me com a inteligência. E quem simplesmente ouve este nosso diálogo com fé e sem inveja se livra das reações kármicas e alcança os planetas celestiais, onde residem os seres piedosos. Ó Árjuna, conquistador de riquezas, você ouviu isso com atenção? E, agora, sua ignorância e ilusões se dissiparam?

A melhor maneira de purificar a inteligência é ocupá-la no estudo da Bhagavad-gita. A alma corporificada, sujeita a tantas ilusões e erros, tem grande dificuldade em fazer uso correto de sua inteligência. Entretanto, a verdadeira função da inteligência é discriminar entre o certo e o errado, o que deve ser feito e o que não deve ser feito, o que libera e o que enreda. A Bhagavad-gita, portanto, foi falada para reduzir todas as nossas reações pecaminosas, assim como o fogo reduz a lenha a cinzas. Árjuna, então, termina este maravilhoso diálogo dizendo estas gloriosas palavras:

ÁRJUNA
Ó Krishna, ó amigo, sinto que estou livre da ilusão e, por Sua bondosa graça, recuperei minha consciência espiritual. Agora, sinto-me firme novamente e livre de qualquer dúvida. Portanto, ó pessoa infalível, estou preparado para agir segundo Suas divinas instruções!

Árjuna está finalmente pronto para executar seu dever com conhecimento transcendental. Ele mostrou o tempo todo ser um perfeito estudante. Primeiramente, ele admitiu sua fraqueza, depois, aproximou-se de Krishna com atitude humilde e finalmente colocou-se na posição de alma rendida, desejosa de iluminação. Completamente livre de atitude desafiadora, Árjuna foi revelando as dúvidas que surgiam no transcurso desta conversa transcendental. Por outro lado, como um perfeito mestre imaculado, Krishna deu-lhe respostas perfeitas e inteligentes e, com muita paciência, eliminou as dúvidas de Seu discípulo sincero. Agora, finalmente, as dúvidas de Árjuna se dissiparam e ele atribui isso à misericórdia de Krishna. Isso significa que Árjuna pôde entender que, além de amigo e mestre espiritual, Krishna era a Divindade infalível e suprema que todos devem adorar e obedecer. Situado firmemente em sua posição constitucional de servo de Krishna, Árjuna se manteve firme para executar seu dever prescrito de participar da batalha no sagrado campo de Kurukshetra e, assim, auxiliar Krishna na Sua missão de proteger os piedosos e aniquilar os indivíduos indesejáveis.
O sábio Sañjaya está terminando de narrar a Bhagavad-gita. Maravilhado com tudo o que ouvira, experimentando grande êxtase e com os pelos do corpo eriçados, ele diz:

SAÑJAYA
Agora, esta conversa divina e maravilhosa entre Krishna e Árjuna chega ao fim. À medida que recordo este magnífico e santo diálogo entre essas duas grandes almas, sinto um prazer inenarrável. Ao lembrar-me da maravilhosa forma de Krishna, fico tomado de profunda emoção e encho-me de grande êxtase devocional. Sentindo admiração cada vez maior por essas duas grandes almas, chego à seguinte conclusão: onde quer que Sri Krishna, o mestre de todo o misticismo, esteja presente, acompanhado do arqueiro supremo, Árjuna, com certeza haverá grande opulência, plena vitória, poder extraordinário e verdadeira moralidade!

Além da Batalha de Kurukshetra ocorrida há cinco mil anos, existe também uma batalha interior acontecendo diariamente dentro de todos nós, cujos inimigos – a luxúria, a cobiça e a ira – estão posicionados estrategicamente dentro dos sentidos, da mente e da inteligência materiais. Porque rejeitamos as instruções de Krishna, que se manifestam através do mestre espiritual, das escrituras védicas ou da Superalma onipresente, nos tornamos reféns desses inimigos. Assim, permanecemos em ilusão e, servindo aos nossos impulsos materiais, nos ocupamos em toda classe de atividades mundanas.
Do mesmo modo que uma carruagem é arrastada por cinco cavalos, nosso corpo é arrastado pelos cinco sentidos. As rédeas da carruagem do corpo são a mente, que está sempre conectada com os cavalos dos sentidos. A posição da inteligência é a de condutora da carruagem, enquanto nós, a alma espiritual, somos simplesmente o seu passageiro. Então, seguindo o exemplo de Árjuna, devemos aceitar que Sri Krishna, a inteligência suprema, seja o condutor da carruagem das nossas vidas. Quando chegamos a esse ponto, alcançamos a perfeição no estudo da Bhagavad-gita, que foi transmitida por Krishna não apenas para eliminar a ilusão do guerreiro Árjuna, mas para beneficiar cada um de nós.

OM TAT SAT!

Um comentário:

  1. A batalha interior vivida pelo homem está arraigada ao mundo material, enquanto o homem vive em bondade, paixão e ignorância sem a consciência de Krishna, que é atingida com a autorealização, ele fica cada vez mais escravo do mundo material.

    As ilusões de Maya fazem com que o homem goste do mundo material e esqueça da sua essência, da sua missão e do sentido da vida.

    Se ele trilha pelo caminho da devoção e começa a receber o conhecimento transcendente, mediante os ensinamentos do guru ele vai compreendendo esse conhecimento que não é atingido quando se compreende de forma individual.

    É necessário se render a Krishna para poder recebê-lo, dessa forma a iluminação vai libertando o homem do mundo material e sua consciência vai sendo elevada.

    hare Krishna!

    ResponderExcluir